Minha lista de blogs

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Grandes mudanças no blog...

Pretendo estruturar as minhas ideias e reduzir consideravelmente o número de posts, eliminando vários, se eu conseguir fazer isso. Rezem!!

domingo, 8 de abril de 2018

Tomei ranço deste blogue...

.... tenho outro projeto mas pretendo fazer uma reforma geral aqui reduzindo e muito a quantidade de textos, redigindo uns novos, na tentativa de organizar o que tenho escrito...

terça-feira, 3 de abril de 2018

"Pontos de vista": impressões subjetivas de caráter potencialmente permanente que validam pontos de perspectivas individuais mas geralmente enfatizando o desleixo pela validação objetiva ou ''científica''/neutral e holística que pode ser iniciada pelo próprio indivíduo, se apresentar capacidade para tal ato

Sábios verdadeiros demolem ou adequam a maioria dos seus pontos de vistas por pontos universais ou associados em harmonia com eles... novamente a diferenciação e a harmonização ou complementaridade [objetivamente] moral entre fato e valor.

Ponto de vista: geralmente um fato associado ou mesclado a um valor com risco potencial de se resultar em uma compreensão [moral/afetiva ou cognitiva] pobre quanto ao objeto de consideração. Ponto de vista ou de perspectiva do indivíduo sobre o objeto, geralmente não-vinculado ou excessivamente vinculado ao fato, especialmente àqueles que encontram-se presentes na ''espinha dorsal da macro-realidade'', isto é, os fatos que são os mais íntimos a nós.

quarta-feira, 28 de março de 2018

Criatividade.... pensamento concreto e não-preconceituoso///cristalizado avançado???

Os mais criativos seriam mais propensos ao pensamento concreto [e oposição aos ''mais inteligentes' ] especialmente no sentido de solidificar as abstrações com o intuito de entende-las de modo mais profundo OU físico, se toda abstração é um meio para se traduzir e alcançar uma informação não-física ou ao menos não previamente física//literalmente conhecida. 

E seriam também menos preconceituosos OU cristalizados, especificamente falando, isto é, em relação às suas áreas de maior interesse e portanto mais propensos a duvidarem do que está sendo passado ou mesmo imposto [possivelmente ao aplicarem mais o pensamento concreto sobre a informação abstrata, isto é, buscando analisar de maneira concreta a realidade/a realidade por -- em si mesma === perfeccionismo] resultando no pensamento crítico-analítico OU divergente.

segunda-feira, 26 de março de 2018

Mais pensamentos sobre a inteligência verbal [estilo de pensamento]

A inteligência verbal em suas raízes não é apenas cultural. Talvez possamos dizer que o estilo de pensamento seja a inteligência verbal (oops múltiplas ...) + inteligência emocional sem cultura. 

A inteligência verbal é sobre a comunicação, que é um dos aspectos mais importantes da inteligência, não apenas da humana. Não é "apenas" comunicação entre as pessoas, mas também intrapessoal. A inteligência verbal está diretamente relacionada com a autoconsciência, talvez mais íntima do que qualquer outra habilidade bio-cultural-acessória (que também é aprendida). Obviamente que, para pontuar de forma normal em um teste de QI verbal, deve-se aprender a ler e a escrever pelo menos na sua língua materna.

A inteligência verbal através da internalização cultural da linguagem é apenas a expressão do estilo de pensamento, associado a símbolos, em interação perceptiva com a realidade envolvente.

Portanto nós temos:

Estilo de pensamento e percepção do mundo, tradução ou filtro desta percepção e tradução ou verbalização do mesmo via linguagem.

domingo, 25 de março de 2018

Analogia de proficiência com o violino para explicar qi/educação e produto bio cultural

Vamos imaginar que você nasceu em uma sociedade em que todo mundo é obrigado a aprender a tocar violino e a compor músicas com este instrumento. Este ensino é transmitido desde a infância. Então depois de um tempo as crianças da geração anos 90 cresceram e uma diversidade ou nível de proficiência com o violino apareceu tal como tem acontecido desde a invenção do mesmo e a democratização e imposição do seu uso como etapa cultural importante. Então [número 2] um grupo de psicólogos resolvem criar um teste para mensurar o nível de proficiência dos habitantes deste país para tocar violino e compor músicas. O teste basicamente comprova novamente a realidade da variação na proficiência, dos mais talentosos aos menos. Sem o ensino das técnicas de como tocar violino e compor músicas a maioria das pessoas deste país fictício não saberiam como fazê-lo por si mesmas especialmente quando ainda são crianças. Algo possivelmente similar pode ser afirmado em relação aos testes cognitivos, alfabetização e ensino da matemática. Sem o ensino e claro feedback ou reciprocidade positiva por parte das pessoas para aprender, a maioria delas não teria aprendido nem a tocar e nem a compor músicas (o mínimo possível) e os testes de proficiência teriam como resultado uma muita baixa capacidade média desta população para com o instrumento. Vamos imaginar então que este modelo cultural é adotado por um outro país, mas diferenças aparecem na hora de compará-los. O país que adotou o modelo do primeiro simplesmente apresenta um desempenho médio mais baixo e com uma menor proporção de violinistas super talentosos. Se eu fosse analfabeto e fizesse um teste de QI, onde evidentemente haveria o QI verbal, eu com certeza obteria uma pontuação muito baixa do que se eu tivesse sido alfabetizado. O mesmo em relação às capacidades matemáticas e também espaciais [que exigem conhecimentos verbal e matemático].

QI, que não é o mesmo que inteligência, pode ser então, na minha opinião, facilmente comparado a qualquer [outro] tipo de potencial de capacidade que necessita do aprendizado de técnicas/invenções culturais como o vocabulário e a matemática.. Isso, como todos deveriam saber, não significa que os testes não mensuram inteligência, mas parte importante dela com certeza e é justamente aquela em que apreendemos a escrever os símbolos associativos que foram inventados para facilitar e mesmo aprofundar a comunicação humana.